Sua vacinação está em dia?

Muitas pessoas imaginam que, por já terem mais idade e passado por diversos processos infecciosos e doenças, já estariam imunes a quase tudo. Mas a realidade não é bem essa.

 

Após os 60 anos de idade, nosso sistema imunológico sofre um enfraquecimento natural, e o surgimento de novos vírus e bactérias pode provocar graves doenças que afetam seriamente a saúde, levando até mesmo a óbito em alguns casos. E sem a devida vacinação, essa faixa etária pode sofrer ainda mais os efeitos dessa nova realidade.

 

O que piora esse quadro é o retorno de comorbidades antes controladas, como o Sarampo. Isso acontece devido a falta de informação sobre as doses de reforço e a errônea crença de que vacinas são indicadas apenas para crianças, levando a queda da cobertura da população e trazendo grande risco para toda a sociedade.

 

Você está com seu cartão de vacinação em dia? Fique por dentro das recomendações da Sociedade Brasileira de Imunização sobre as vacinas para grupos acima de 60 anos:

 

  • Gripe (dose anual) – Os idosos são públicos-alvo pois o vírus costuma causar problemas sérios favorecendo outras infecções respiratórias, como a pneumonia.
  • Pneumocócica (Pneumonia) – uma dose da vacina Pneumo 13, após 6 meses uma dose da Pneumo 23 e após 5 anos o reforço da Pneumo 23 – A pneumonia é a terceira principal causa de óbito no mundo.
  • Tríplice Bacteriana (difteria, tétano e coqueluche) – uma dose a cada 10 anos – Apesar de a difteria estar controlada no país, a imunização contra essa doença que atinge as vias aéreas segue importante para anular epidemias futuras. O tétano, causador de fortes espasmos musculares, costuma ocorrer após acidentes. A coqueluche não chega a ser grande ameaça ao sistema respiratório desta faixa etária, mas auxilia a barrar a propagação para as crianças, público em que a doença é mais séria.
  • Hepatite B (3 doses com intervalo de 0, 30 e 180 dias entre elas) – Em 2016, grupo acima de 60 anos passou para o primeiro lugar no número de casos no Brasil, representando 13% do total. Além da relação sexual, é possível se infectar com objetos cortantes. O vírus se aloja no fígado podendo provocar cirrose ou tumor.
  • Herpes Zóster (dose única) – imuniza contra os efeitos tardios do vírus da catapora, que em idosos pode causar sintomas muito agressivos

 

Já alguns imunizantes são indicados em situações específicas, conforme recomendação médica. São elas:

 

  • Febre Amarela (uma dose) – indicado para área de risco. Para acima de 60 anos só deve ser tomada com indicação médica.
  • Hepatite A (2 doses com intervalo de 6 meses entre elas) – indicado em caso de surto ou recomendação médica.
  • Meningites ACWY (uma dose) – Indicada antes de viagens para áreas em que a meningite está ativa, como países da África. Após os 55 anos é necessária a autorização médica para vacinação.
  • Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) – Só deve ser aplicada com indicação médica. Caso já tenha sido vacinado anteriormente não há a necessidade de nova dose.

 

Toda vacina é essencial, e a necessidade de revacinação deverá ser discutida com o seu médico. Lembre-se: a imunização protege não somente a quem é vacinado, mas beneficia também toda a comunidade evitando a propagação da doença.

 

E não se esqueça que aqui na Asttter você conta com o “Plus em Casa”, que oferece reembolso em vacinas e outros custos da família utilizando seu saldo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.